Home / Cinema / ’40 Dias – O Milagre da Vida’ O inesperado pode ser um presente
'40 Dias - O Milagre da Vida' O inesperado pode ser um presente

’40 Dias – O Milagre da Vida’ O inesperado pode ser um presente

O tempo de reflexão, pelo qual todos nós estamos passando durante esta quarentena, nos leva a pensar sobre o valor da vida e sobre o valor da morte. Sobre o papel de cada ser humano nesta grande história chamada vida. Cada vida importa, mesmo que ainda seja um embrião. O filme “40 Dias – O Milagre da Vida” vem apresentar essa mensagem de uma forma sensível e desafiadora.

Ao trazer lições, o filme faz com que o ser humano enxergue além das circunstâncias existentes. A Bíblia fala em Salmo 127.3 que “Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que Ele dá”. Talvez, a gravidez possa ter vindo em um momento não planejado, no meio do caos, mas o inesperado pode ser um presente.

A população mundial vive tempos difíceis hoje. As incertezas, o medo, a falta de uma companhia ou afeto têm impactado a rotina de muitos. Pense que a oportunidade da vida deve ser dada para todos e que ela é dom de Deus. Apesar de qualquer falta de planejamento nosso, Deus permitiu que a vida “brotasse” em muitos ventres.

“40 Dias: O Milagre da Vida” chega aos cinemas em maio

Assim como esses dias conturbados têm assolado o mundo, há algum aprendizado, há algo positivo acontecendo, mesmo que não seja visto agora. Por isso é preciso paciência consigo e com o próximo. Vidas valem mais que tudo. Esteja em casa, cuide da sua mente, da sua saúde, cuide dos seus, os que estão aqui e os que ainda estão a caminho.

Abaixo seguem dois relatos de mulheres que hoje conseguem perceber como a vida teria sido diferente se a mudança de perspectiva fosse exercida em meio aos receios, questionamentos e inseguranças:

“Eu tinha apenas 19 anos. Engravidei sem planejamento. Tinha acabado de entrar pra faculdade e nada podia me atrapalhar. Fiz um aborto. Com o tempo eu compreendi que havia uma vida dentro de mim e eu me arrependi amargamente. Hoje não posso ser mãe por conta deste aborto. Meu sonho era poder carregar aquele meu bebê no colo. Se você pode carregar o seu, valorize isso.” – F. D. – 42 anos.
“Era meu primeiro grande emprego. A gravidez ia atrapalhar tudo. Eu e W. tivemos a certeza de que um filho não nos ajudaria. Procurei uma clínica indicada e fui. Chegando lá eu vi outras mulheres e pensei que era apenas uma escolha. Nada de errado podia acontecer. Quando eu saí da clínica, uma amiga para quem eu havia contado tinha me enviado um vídeo mostrando como o aborto acontece, como a criança que já é um ser vivo sofre. Eu sofri muito. Entrei em depressão e perdi o grande emprego.  Hoje, restaurada pelo amor de Deus, posso contar essa história de arrependimento e encorajo a todas a pensarem. Tirar a vida de alguém é sim um assassinato.” – M. L. – 39 anos.

ASSISTA AO TRAILER:

SINOPSE

Tudo que Abby Johnson (Ashley Bratcher) sempre quis foi ajudar outras mulheres. Como uma das diretoras mais jovens da história da Paternidade Planejada, organização responsável por metade dos abortos realizados nos Estados Unidos, ela acreditava ter feito a escolha certa. Até o dia em que algo que Abby viu fez com que tudo mudasse e ela se tornasse uma das principais vozes do movimento pró-vida da América.

Fonte: 360 WayUp

Check Also

Filme Quando o sol se Põe - Entrevista com Filipe Lancaster - Confira os bastidores do Filme

Filme “Quando o Sol se Põe” alcançou o TOP 10 da Netflix

Com 24h de estreia, o primeiro longa cristão brasileiro a fazer parte do catálogo da Netflix, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *